21 novembro 2013

Resenha #19 - Quase Acaso

|| ||


Ficha técnica...


Título: Quase Acaso
Autor: André Tressoldi
Ano: 2012
Editora Novo Século
Gênero: Ficção
167 páginas
Personagens principais: Reinaldo, Vânia, Giuseppe
Local e época em que se passa a história: Ele não deixa a época implícita mas da a impressão de ser nos dias atuais, embora muitas vezes ele recorra a lembranças. A história ocorre no Brasil e na Itália.

Outras informações...

Eu peguei o livro: Na minha prateleira
Nota:**** (4/5)
Status:Acabei de ler
Eu comprei ou ganhei? Ganhei de uma parceria com o autor

O livro em si...

A capa é bonita?
Achei a capa bonita pois a ilustração da arma é brilhosa e o coração desmanchando dá um efeito muito legal
A diagramação é boa?
É sim. O livro só não ficou com cinco por... Motivos que vou falar lá em baixo hehe
Tem detalhes no interior?
Não
As páginas são amareladas?
São sim. A textura delas também é legal
Tem trechos engraçados?
Muito pouco. Mas eu ri muito sozinha (Acho graça em tudo)

Na contra capa...

Depois de tentar a vida na cidade grande, Reinaldo, de origem simples, volta para o interior e resolve cursar uma faculdade. Lá, apaixona-se por Vânia, uma garota misteriosa que arrebata por completo o coração do rapaz. Mas entre os segredos da garota está o fato de ela já ter um namorado. Desiludido, Reinaldo resolve desistir desse amor.
Com o passar dos anos, torna-se renomeado Doutor em Educação, dedicando-se a ministrar palestras pelo mundo. Porém, o tempo e as transformações não foram suficientes para que esquecesse Vânia.
O destino, no entanto, pode mudar a seu favor com a presença do mafioso Giuseppe Fiorentini, que possui um inusitado plano para ajudar o amigo.
 Quase Acaso é uma narrativa imprevisível e apresenta reflexões sobre como as escolhas, as surpresas e a sorte são determinantes para a trajetória de cada um.

Nas abas...

 Durante as arrumações da viagem, por várias vezes se flagrava pensando em Vânia. Não estava mais sentindo raiva dela. Desejava que estivesse bem. Até orava, nas poucas vezes que o fazia, para que Vânia fosse feliz. Os anos fizeram dele menos mesquinho, finalmente reconhecera que ela não lhe pertencia, mas mesmo com esse novo entendimento, continuava amando-a. Talvez esse amor fosse uma obsessão. Isso ele não sabia, mas sentia que era. Várias e várias vezes lembrava-se de sua paixão, cujo ardor acreditava que nunca passaria, apenas amenizaria.

Sobre o autor...

Fonte aqui
André Alge Balestra Tressoldi nasceu em Joaquim Távora/PR, no ano de 1976. Desde julho de 2011 é advogado. Antes disso, como todos os brasileiros qeu se esforçam para mudar de vida, passou por poucas e boas, como ter o visto de entrada nos Estados Unidos negado e ser deportado da Inglaterra. Mas é como dizem: o brasileiro não desiste nunca, e ele não desistiu, continuou lutando. Há tempos queria escrever, mas apenas no final de 2010, por incentivo de alguém, começou a saga. Não parou mais, tendo produzido a obra Suicídios em Bom Jesus (romance policial) e os infantis O Menino e o Mamangava e A Menina da Calopisita (ainda não publicados). Atualmente trabalha no projeto de um livro de terror.

Opinião da Lary...

Eu achei o livro bastante interessante. Eu li ele bem rápido, é um livro curto e de leitura bem fácil, parece que é um amigo te contando uma história. O livro é um pouquinho pesado por falar da máfia italiana e pelas várias cenas que descreve o sexo. O André não perdoa o sistema e grita pro mundo mesmo. Gostei disso no livro. Fez com que eu olhasse de outra forma ao meu redor. Ele critica os políticos, a educação e muitos outros pontos aos quais quase não damos mais valor. O livro tem uma linguagem super simples. Não tem aquelas enrolações não. Tá certo que algumas vezes o Reinaldo fala bonitinho de mais mas ele criou uma tese importantíssima então tem que aprender falar difícil mesmo. Recomendo muito. Estou orgulhosa de mim. Estou lendo literatura nacional.
Trecho que mais gostei: "_Você conseguiu praticamente tudo o que uma pessoa pode querer, você deve ser realizado.
_Não em tudo, mas o que quero dizer é que não cheguei a lugar nenhum. Simplesmente, as circunstâncias de minha vida mudaram, mas eu não mudei, exceto por meu pessimismo com o sistema, que se acentuou." (página 55)

Então Amoras. Essa é a minha resenha de hoje. Quero aproveitar pra dizer que eu acrescentei um livro a minha meta mensal. O livro se chama Apenas respire, da autora Suzan Wiggs e, além desse, vou ver se consigo ler O caçador de pipas. Leiam Quase Acaso. É muito legal a leitura dele. Até a próxima, com carinho, Lary Zorzenone

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Todos os comentários são respondidos e retribuídos, normalmente nas quartas e domingos;
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos na bochecha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo