10 setembro 2019

Resenha #174 - A maldição dos inocentes

|| ||
"A humanidade sempre teve medo de mulheres que voam. Sejam elas bruxas, sejam elas livres."

Da mesma autora de Aos Olhos de Zoe
Em uma cidade coberta pela neve, em meados do século XVI, o vento sussurra prelúdios da maldição que recai sobre o povo. As chamas bailam ardentes em uma dança que só quer um par: Pietra Scarj.
Decretado o início da caça às bruxas por um jovem rei, apoiado pela Santa Igreja, a Sereia do Inverno vê-se em uma fuga alucinada, tendo em seu encalço toda a amedrontada sociedade, além de um caçador cuja vida depende do sucesso da captura.
No entanto, ela descobre não estar só. Um lobo com os exatos mesmos olhos coloridos é sua companhia. Partilham do mesmo espírito livre e selvagem, da mesma alma perigosa e letal.
No caminho para escapar da fogueira, um rastro de veneno, morte e traição, mas em Litin, toda verdade se esconde sob uma densa bruma de mistérios.
Alucinações de um caçador. Um boêmio apaixonado. Três irmãs à procura de vingança. Há cicatrizes sobre todos os corpos, mas são as marcas da alma que definirão o destino da jovem bruxa e do reino.
Os inocentes também carregam segredos, e somente o confronto de antigos fantasmas poderá libertá-los da Maldição.
Você está pronto para queimar?

A maldição dos inocentes

Vamos começar mais uma resenha de livro nacional (fazia tempo que não vinha aqui resenhar um nacional). O terceiro livro solo da Camila Pelegrini (quarto se contar que o Sombras do Medo tem duas edições e cinco se contar um que li, mas que ainda não foi publicado) é pra cutucar na ferida. Afinal, o que esperar de alguém cujo primeiro romance foi uma distopia, certo?
Nossa história conta com Pietra no centro de tudo. Pietra, mulher, ruiva, sozinha, com olhos coloridos, livre. Um perigo para a Igreja e o reino. Acho que preciso falar que se passa em meados do século XVI. Acontece que, mesmo após as caças as bruxas quase cessarem completamente, o rei Durian (homem odioso) alerta seus súditos os perigos que vem acompanhado de Pietra Scarj e pede que ela seja capturada para queimar na fogueira, tudo isso em nome de Deus. Uma guerra Santa. Não sei quanto a vocês, mas a frase "Guerra Santa" não faz nenhum sentido pra mim.
"[...] as pessoas não se transformavam à noite, mas simplesmente agiam conforme seus mais íntimos desejos quando pensavam que ninguém assistia. Era o mesmo perigo, com a diferença de que no escuro véus de dissimulação caíam. Há muito, Pietra concluíra que as trevas não criavam o mal. Elas apenas o revelavam."
Tá. Pietra tem um alvo gigante e brilhante em suas costas e todos estão desesperados para se verem livres dessa praga, dessa herege. Ai entra Nikolau, um caçador de bruxas "aposentado" que vive recluso nos limites da cidade e combate seus demônios diariamente enquanto luta para manter seu filho Noah a salvo. E é claro que Durian, o rei mais endemoniado da face da terra sequestra Noah para forçar Nikolau a partir em busca da Sereia do Inferno.
"O rosto do menino, simples e alegre, inundou a sua mente, e fez com que se lembrasse de como não havia nada de maior valor do que a sua companhia. Nikolau abriria mão de qualquer riqueza, de sua própria vida, para ter o menino de volta."
Vizinho a Nikolau vive Rollo, um jovem abastado, boêmio e mulherengo, único humano em quem Pietra confia (levemente) e com quem mantém relações carnais frequentes, sem ligações sentimentais, ao menos da parte da Sereia. A um primeiro momento, ele parece somente um bêbado que vai trazer problemas, mas Rollo é muito mais que isso. Camila consegue, novamente, criar personagens cheios de camadas.
"De um estranho e irremediável modo, Rollo sabia que gostava demais da Sereia para ser egoísta a ponto de desejá-la somente para si, ignorando os perigos que a cercavam."
Então temos um rei espalhando o medo entre toda uma população com a Igreja do seu lado, apoiando e defendendo todas as palavras dele, uma fugitiva, um caçador e um boêmio até o momento.
Pietra tem uma companhia frequente, que é o lobo cinzento que possui olhos coloridos como o dela, um marrom, um azul. Fenrir a defende e é sua única companhia enquanto ela atravessa a floresta.
"Já decidira há muito tempo que a única companhia que aceitaria seria a de um lobo. Afinal, suas presas poderiam ferir a carne, porém nunca rasgar o espírito, como somente os humanos sabiam fazer."
Quando a caça a ela é declarada, Pietra deixa a cidade em um cavalo branco dado por Rollo, quase sempre, pela floresta, que a encobre e protege. Em seu caminho surgem três mulheres, irmãs, que pedem por sua ajuda e oferecem a delas, mas Pietra logo nega.
As irmãs são, da mais velha para a mais nova, Walkyria, Noelle e Sophia. As irmãs buscam vingança pela sua mãe, assassinada injustamente. Após a rejeição de Pietra, elas encontram Rollo, se aliam e passam a planejarem juntos como convencer Pietra a ajudá-las e também ajudar a bruxa em sua jornada.
"_Haverá fogo, caçador. E antes que eu diga qualquer outra palavra, você precisa escolher seu lado. Precisa escolher antes que seja tarde demais."
O destino desses personagens é o porto, visto que é pra lá que a Sereia se encaminha. Ela leva consigo uma carta colada ao corpo, algo muito importante que pode ajudar todos os moradores de Litin. A aventura na cidade coberta de neve está apenas começando.

Qual a opinião da Lary sobre o livro A maldição dos inocentes?

É necessário dizer que amei? Amei amei e amei mais um pouco. Em seu primeiro capítulo, já somos capturados por esses personagens e levados a conhecer sua história individual e como um grupo. A cada parágrafo queremos mais, queremos descobrir o que virá a seguir, queremos descobrir sobre eles e o desfecho que essa história terá.
Esse não é um livro que começa com as apresentações de personagem. Vamos descobrindo suas motivações ao longo do caminho, mas Pietra permanece um mistérios até o final. Quando me foi apresentado parte de seu passado, fiquei injuriada, desgostosa de um povo que discrimina por características físicas, coisas que não podemos mudar. Fiquei injuriada com o tratamento recebido pela realeza, pessoas que, supostamente, deveriam pensar no bem de seu povo acima de toda e qualquer coisa.
Camila não tem medo de cutucar a ferida e o livro todo é uma crítica a governos totalitários que se apoiam na religião. Se vocês não sabem, o Brasil é um estado laico, que quer dizer que as pessoas tem liberdade religiosa e o estado não pode se basear em ensinamentos religiosos, seja de qual religião for. Mas não é bem isso que vem acontecendo, não é mesmo?
Não sei quanto a vocês, mas eu tenho um medo gigante de um governo baseado em religião, visto que mulheres serão subjugadas sempre, menosprezadas e colocadas como inferiores, propriedades dos homens e não como igual (machismo mandou lembranças).
"[...] com o povo, tal como um rebanho, atendo às ordens do rei e da Igreja, aguardando os comandos a respeito de como deveriam se sentir."
Outra coisa terrível que essa leitura apresenta de forma maravilhosa é como um governo tirano é capaz de QUALQUER COISA para se manter no poder. Sequestrar crianças? Okay. Fazer com que toda uma população seja desolada pelo medo? Okay. Julgar e matar sem provas? Okay. Tudo isso para se manter no poder e ter o que quiser. De muitos modos acho a monarquia (quando bem estruturada) uma boa forma de governo, mas a literatura (e até mesmo o passado) nos mostram que dar muito poder para somente uma pessoa pode ser um tanto quanto perigoso.
"[...]o Rei Durian lidera de maneira inteligente com a situação de perigo que se instalara, utilizando-se do medo daquelas pessoas em benefício de sua própria imagem e reputação."
A escrita da Camila está cada vez melhor e vou ser tiete mesmo. Ela merece toda a tietagem.
Mulheres empoderadas, livres e autossuficientes em uma época onde o "correto" era ser submissa, cuidar do lar, parir uma criança atrás da outra e julgar mulheres que fizessem qualquer coisa fora do "normal" é o que vamos encontrar aqui. Sem falar diretamente, Pelegrini dá uma lição sobre feminismo, governo, religião, domínio, medo e até mesmo problemas psicológicos.
"O poder inerente à coroa, as verdades da igreja a seu lado e os preconceitos facilmente incutidos ao povo eram vertentes de uma tríade certamente adorada pelo diabo."
Quero falar uma coisinha sobre o Fenrir. Geralmente a Camila coloca um cachorro em seus livros. Achei o máximo colocar o parente mais selvagem deles aqui. Mesmo sem ser acariciado fisicamente e essas coisas que fazemos com cachorros, Fenrir se mostra leal, protetor e com um ótimo julgamento de caráter.
Se eu ainda não te convenci a ler esse livro, ele tem uma das capas mais lindas que já vi. Agora foi?

Sobre a edição

Até o momento, ele está disponível somente em e-book por um preço bem em conta. Todo início de capítulo tem um desenho bem bonito. Como eu já disse, a capa está divina. A revisão está bem feita e encontrei quase nenhum erro. Só encontrei porque sou muito chata.

Personagens

Nikolau Fagertun é o nosso caçador. Vive atormentado com o fantasma de sua esposa assassinada. Move mundos e fundos por seu pequeno filho, Noah. Nikolau vai descobrindo, aos poucos, do que o governo é capaz para controlar a população e quem de fato eram as "bruxas" que ele caçou com tanto afinco.
"Assim, começava a acreditar que talvez não houvesse, de fato, realidade mais verídica do que a que se passava dentro da mente de um homem. E quem é que poderia afirmar o contrário?"
Pietra Scarj ou Sereia do Inferno é a nossa "bruxa" protagonista, caçada, julgada. Ao nascer ruiva e com olhos coloridos em uma época de extrema ignorância, Pietra ganhou seu alvo vermelho cintilante. Uma infância e adolescência complicada deram a ela somente força e coragem.
"Pietra estava acordada antes mesmo de abrir os olhos."
Rollo Vivandi ou Rollo Prestegard: encontrei esses dois sobrenomes no livro, então usarei ambos. Rollo teve uma infância complicada e passa sua vida adulta bebendo vinho e gastando o dinheiro que herdou de sua família. Parceiro sexual de Pietra, e de muitas outras mulheres. Rollo deixa toda a covardia de lado quando precisa proteger a Sereia.
"Meu maior desejo não é que você seja minha, é que você esteja sempre ao meu lado."
Walkyria, Noelle e Sophia são três irmãs independentes que cresceram sob os cuidados de Walkyria, já que sua mãe foi tirada delas cedo. Possuem uma força gigantesca, força que ninguém tão jovem deveria precisar ter.
Rainha Mikaela é a tia do rei Durian, rainha de um país vizinho por casamento. Uma mulher que realmente entende os deveres e responsabilidades que vem com a Coroa.
"_Tenho certeza de que a sua decisão a meu respeito já está formada, que já tem sua verdade. De nada adiantará falar sobre a minha."
Rei Agmund, pai de Durian. Assim como sua irmã Mikaela, Agmund foi um ótimo rei para seu povo, buscando sempre melhorar as relações com os países vizinhos e manter a paz. Para seu filho tudo isso foi feito porque seu pai era "fraco". Ele não vê bravura em ser bondoso.

Outras quotes

 "_Muito, muito bom, senhor Nikolau. Espero que perdoe a dissimulação deste jovem Rei. Meu propósito é em nome de Deus e da segurança do meu povo."
"Pietra sabia, contudo, que todas as tentativas eram frustradas e, de uma maneira egoísta, esperava que assim continuassem sendo. Não queria nada além do que já encontrava sob seus lençóis, porém repelia a ideia de perdê-lo para um eventual vínculo amoroso."
"Resistiu ao impulso de ferir a si próprio como uma forma desesperada de sentir uma dor maior do que a que o afligia."
"Assistir ao padecimento de uma mulher supostamente herege, infame e impura causava uma insólita sensação de segurança, como se somente a violência pudesse guardar a paz."
"Pietra já se deitara com muitos homens e mulheres, e embora muitos houvessem passado por seu corpo, não contava como se houvessem passado, de fato, por sua vida. Não era a mesma coisa."
"A jornada era uma batalha. Lidar com o resultado era outra, completamente distinta."
"Se o fizesse, sabia que o inferno o estaria esperando, mas estava preparado para isso também. Afinal não poderia existir inferno mais real do que o que se passava em sua própria cabeça."
"Naquele momento, Nikolau morreu pela primeira vez."
"O fato era um e único: todos eram fiéis a uma causa, porém deixavam de ser quando havia conflito com a sua própria."
"Detestava a inabilidade que o ser humano tinha de silenciar."
"Com que frequência uma pessoa oferecia a outra, completamente desconhecida, algo que não sofrimento e desprezo?"
"Eram impulsionados pela frieza, pelo medo e pela ignorância de todo um povo. Eram símbolos do apreço pela violência, do asco pelas diferenças."
"Queria que seu corpo fosse resgatado, e essa parecia uma ação dispensável para todos os santos."
"É mais fácil tampar toda a luz do sol que até nós chega do que calar uma boca."
"E sociedade patriarcal nenhuma subsistiria se suas meninas enxergassem o poder que tinham contra seus opressores."
"Depois de um caminho tão doloroso, qualquer fim parecia uma oportunidade de descanso."
"[...] o caçador percebeu que toda a sua raiva já não tinha a ruiva como principal alvo, mas sim o rei, o causador daquele caos. Em algum ponto daquela jornada passara a desejar, acima de tudo, que o monarca fosse punido pelo sequestro de Noah. Afinal, fora ele a ordenar que o menino fosse arrancado no meio da noite de sua cama quente."
"Começava a perceber que escrúpulos e ideais não passavam de palavras bonitas quando do outro lado da balança estava a vida de alguém amado."
"Era incrivelmente mais seguro estar ao lado de um animal do que estar ao lado de um ser humano. Não havia selvageria maior que a existente neste último."
"Seriam os animais mais atentos aos detalhes? Teriam eles mais percepção em relação às nuances humanas?"
"Havia algo misterioso, uma paz quase mística nos minutos que antecediam o derramar de sangue."
"Não sabia como lidar com a aparência paradoxal da bruxa: era garoa e temporal ao mesmo tempo."
"_As mulheres desse país e de outros aprenderão seus lugares. As fogueiras e as espadas se encarregarão de contar a história do que acontece quando pensam ser mais do que são."
"O mistério era seu aliado. A noite seu manto. E a mote, sua mais fiel companhia."
"Que tipo de governo era aquele que sacrificava crianças em nome de seus interesses?"
"Aliás, se os senhores já jogaram xadrez devem saber que se protege o rei... Mas é a rainha que se deve temer."
"Ela era resistência. Era rebeldia. Havia sido assim durante toda a sua vida. Não seria diferente em sua morte."
"Incomodava-o também a sensação de que os atos conhecidos como bruxaria lhe assustavam menos do que os ordenados pelo governo."
"Será criado para saber quem foi sua mãe, para conhecer a maldade que a tirou dele, porém de forma a nunca se acostumar com ela."
"Os homens que descenderem de sua existência aprenderão a olhar as mulheres nos olhos, reconhecendo nelas a mesma força que eles mesmo possuem; as mulheres jamais abaixarão a cabeça, saberão reconhecer seu reflexo e seu valor, sabendo que, bruxas ou não, são suficientes."
"Talvez jamais estivesse pronto para uma mulher que voava como ela."

Ficha Técnica...

Título: A maldição dos inocentes
Autora: Camila Pelegrine
Editora Amazon Ltda
521 páginas
Ano 2019
Nota: 5
Nota no Skoob: 5





Concluindo: Um dos livros mais maravilhosos que li na vida. Leia, leiam, leiam. A escrita da Camila está cada vez melhor, envolvente e maravilhosa. Temas atuais, personagens cativantes e uma narrativa muito bem construida e amarradinha.

Categoria nova em resenhas

Se gostou ou se interessou por A maldição dos inocentes, pode gostar também de

Por ser da mesma autora:
Sombras do medo ed1 e ed2
Aos olhos de Zoe

Por ter caça as bruxas:
Trilogia Paganus, Samhain, Beltane

Por ter reinos e guerras:
Pétreos
O despertar do Paladino

A resenha ficou gigantesca e cheia de quotes, eu sei. Isso porque tirei cerca de 15 quotes para fazer a versão final da resenha. Ain gente, vocês me conhecem. Quando gosto de alguma coisa, começo a escrever e não paro e como só tinha quote incrível, ficou bem complicado escolher quais viriam pra cá.
Espero que tenham gostado da minha resenha e, se ainda não foi ler o livro, vá nesse momento.

 
http://vidasempretoebranco.blogspot.com/p/anunciantes.html
 

12 comentários:

  1. menina, adorei conhecer esse livro, ainda de autora nacional! amei as quotes e já quero ler!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lívia
      Eu adoro literatura nacional e esse é um dos melhores livros que já li na vida.

      Excluir
  2. Olá!
    Uau, eu fiquei interessada na leitura é muito pouco, fiquei é muito curiosa por ela. Não tinha conhecimento da autora e nem da obra mas claro que irei buscar mais e conhecer mais. A trama é muito boa, tem uma premissa ótima, ainda mais sendo nacional. Adorei! Espero ter a oportunidade de ler logo!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily
      Eu exalto a literatura nacional sempre e acho que ela tem que ter tanto destaque quanto a internacional. A escrita da Camila é uma graça e recomendo sempre.
      Espero que vá em frente e o leia e ame tanto quanto eu.

      Excluir
  3. Oi
    que bom que amou a leitura, não conhecia a autora, mas a história me chamou bastante a atenção, parece ser uma história que prende bem o leitor.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise
      É uma história envolvente do início ao fim. Super vale a pena.

      Excluir
  4. Oi Lary, tudo bem?
    Achei a premissa maravilhosa! Adoro fantasias medievais.
    Além disso, o fato de cutucar uma ferida atual na nossa sociedade (como o "mito" do estado laico, porque né...) é incrível também.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Prih
      É um livro maravilhoso por todos os motivos possíveis. Recomendo mais que demais.
      Beijos

      Excluir
  5. Aff, Lary.
    Sei nem por onde começar.
    Já conheço teu capricho de outras carnavais, MAS O QUE FOI ESSA RESENHA? Você queria me matar de amor? Pois conseguiu hahaha

    Tá maravilhosa!!!
    Fico imaginando o trabalho que deu falar com tanto cuidado da história, dos personagens... e escolher esses quotes ❤️

    Eu amei do fundo do meu coração.
    Mil obrigadas ❤️❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mila linda
      Sempre um prazer te ver aqui hehehe.
      Se eu faço com capricho, é porque merece e sempre lhe digo isso. Sempre vou exaltar sua escrita.
      Trabalho deu por que tinha muita coisa que eu queria dizer e não sabia como... Era muito amor pra tentar colocar em palavras.

      Excluir
  6. Aaahh! Que resenha linda! Você escreve muito bem e conseguiu falar muito bem da história. Para quem não leu, da uma super vontade de ler. Para que já leu, dá vontade de conversar eternamente porque você conseguiu transmitir muito do que o livro nos passa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lari '-'
      Eu fiz com todo o carinho possível para transmitir todo o amor que senti lendo esse livro. Converse comigo sempre. Adoro conversar hehe

      Excluir

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Se deixar o seu link clicável, eu vou retribuir seu comentário, pode ter certeza, da mesma forma que não deixar o link pode resultar em falta de retribuição;
♥ Se o seu comentário for: Adorei seu blog. Retribui? A resposta é NÃO;
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível.
♥ Para saber o que respondi, ative a caixa de notificações de próximos comentários.
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos de brigadeiro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo