10 abril 2017

[Relatos de uma mãe de primeira viagem] - Ter ou não o segundo filho?

|| ||
Pra começar, quero dizer que não estou aqui pra listar uma lista de motivos pra ter somente um filho. Na verdade é bem isso que eu critico nessa postagem. Estou aqui pra falar sobre o que eu penso a respeito. Cada um tem o direito de escolher o que quer para si e sua família.

Claro que essa pergunta é muito pessoal e varia de pessoa pra pessoa, de experiência pra experiência. 
Particularmente, eu não penso em ter mais filhos. Miguel sempre foi uma criança muito boazinha, que não chorava muito, obediente, que se alimenta bem e toda minha experiência com gravidez e parto foi bem okay. 
Então por que não ter mais filhos? 
Bom, esse é meu pensamento hoje, com meu filho tendo dois anos, meu marido fazendo faculdade e eu em casa pra cuidar do pequeno. 
Então você pode mudar de ideia? 
Claro que posso mudar de ideia. Mudamos de ideia o tempo todo e não há nada de errado nisso. 
Porque você resolveu falar sobre isso, Lary? 
Eu já falei das coisas que ouvi quando estava gravida, mas não falei sobre as coisas que ouço agora que o Miguel já nasceu. Cansei de ouvir que ele PRECISA de um irmãozinho, que eu TENHO que ter outro filho, que ter um filho só é ERRADO. Pois é. É um absurdo atrás do outro. 
Vou deixar algumas coisas bem claras aqui:
Eu não PRECISO ter outro filho. Na verdade, eu não PRECISARIA nem ter o primeiro, tive porque quis. Parem de criticar todo mundo, seja por ter filhos  ou por não querer tê-los. Eu quero que o Miguel seja filho único para que ele tenha mais oportunidades, para que eu possa fazer o melhor que puder para ele. Mas se eu quisesse ter cinco, o problema seria somente meu e do meu marido. Essa é uma decisão que não cabe a ninguém mais além do casal. 
Meu filho não TEM que ter um irmãozinho. Eu cresci tendo uma irmã e, sim, foi incrível e eu a amo, mas não acho que meu filho precise ter um irmão só por ter, sem que eu e meu marido desejamos um outro filho. Ele precisa ser amado, ter contato com pessoas e que nós o ensinamos a como ser um ser humano decente que sabe dividir o que tem. 
E desde quando ter um filho só é errado? Errado é fazer filho e deixar abandonado, sem dar atenção, crescendo onde não tem amor e a violência física e psicológica fazem parte de sua rotina. 
Lary, ainda não entendi qual o intuito desse post. 
O intuito é só mostrar que as pessoas não querem e não precisam de alguém falando o que devem ou não fazer. Se um dia eu mudar de ideia e desejar tanto ter um segundo filho quanto eu desejei ter o primeiro, ai eu terei, mas porque eu quero e não porque me foi imposto. 
O mesmo cabe a quem julga mulheres e famílias que não querem ter filhos. Ter filhos é uma escolha e não uma obrigação.
O ponto aqui é que ninguém tem obrigação de ter inúmeros filhos somente porque ouve que filho único é mimado, que criança que cresce sem irmão não sabe socializar. A meu ver, seja filho único ou tenha mais 20 irmãos, quem forma o caráter dos filhos são os pais. Miguel é o primeiro filho, primeiro sobrinho, primeiro neto e, por parte do meu pai, o primeiro bisneto. Isso não quer dizer que não falamos não pra ele. Ele sabe que tudo tem limites e deixamos bem claro quais são os limites dele. É claro que ele recebe toda a nossa atenção, mas desde quando demonstrar para alguém que você o ama é algo ruim?
Família Zorzenone, no batizado do baby

Família Silva Domingues, numa tarde atoa 

Um post para todos refletirmos hoje.

4 comentários:

  1. Eu nunca fui de dar opinião sobre a vida familiar de ninguém, mas como você disse, por muito tempo achei que filho único não sabia socializar, mas conheci pessoas tão incríveis que me fizeram morder a própria língua, enquanto outros (em casos com até sete irmãos), a pessoa era um poço de arrogância e superioridade. É personalidade, caráter e convivência mesmo. Não dá pra julgar só por ter ou não irmão. É bem hipócrita até. Concordo com você viu, Lary? Se chegar uma hora que você decidir que quer ter outro filho, vai lá e pronto. Mas o corpo é seu, a família é sua e mais ainda, a vida é sua. E mais ninguém tem o direito de opinar.

    Ah, e por falar nisso: família linda a sua! ♥

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era exatamente esse o ponto, Selma. Não acho errado a pessoa pensar a respeito disso, mas querer ditar como sua vida deve ser... Ah. Vá a merda!
      Obrigada por estar sempre por aqui e pelas palavras lindas ♥

      Excluir
  2. Hoje em dia mais do que nunca é comum você esbarrar com esses palpiteiros, que acham que sabem da sua vida melhor que você e tudo mais... Minha filha ainda nem nasceu, mas não pretendo ter mais filhos. E confesso que já encontro os palpiteiros e dependendo da pessoa eu mando ir pro caralh* mesmo. As pessoas acham que sabem o melhor pra você mais do que você mesma, como pode? haha

    Enfim, eu concordo plenamente com você e vida que segue ♥

    darnassiando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria lhe dizer que vai melhorar, mas não vai não. Os palpites vão aumentar, a não ser que você toque o fod*-**

      Excluir

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Posso até demorar, mas todos os comentários são respondidos
♥ Se deixar seu link no fim de um comentário decente, irei retribuir com todo carinho
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos na bochecha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo