07 março 2017

Resenha #82 - Maze Runner - Correr ou morrer

|| ||

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.
Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 

No primeiro livro dessa trilogia distópica, conhecemos Thomas, um garoto que tudo o que lembra é o próprio nome. Thomas acorda em uma grande caixa escura e barulhenta, como um elevador que fica um bom tempo subindo. Quando para de subir, Thomas se encontra em uma clareira, cercado por garotos de diversas idades, mas todos garotos.
Na clareira, Thomas descobre que estão cercados por um labirinto cheio de coisas desagradáveis, monstros enormes chamados pelos Clareanos de Verdugos. Conhecemos e odiamos Gally (que pode ser pior que um Verdugo) e amamos Newt e, no meu caso,  Minho.
"Ele se abrira e realmente gostava de Newt. Se Newt se voltasse contra ele agora, Thomas não sabia se poderia aguentar." Pág. 206
Quem já viu ao filme sabe bem essa história. O livro tem algumas diferenças que acho bacana falar aqui. Os Clareanos são bastante rudes com Thomas no começo. Bastante rudes mesmo. O tratam mal e ele tem um único amigo no início, Chuck. E Teresa aparece na Clareira no dia seguinte a chegada de Thomas, e entra em coma profundo. E aqui vem uma diferença bastante diferente. Pode ser spoiler então pare de ler aqui. Sério. Pare de ler!!!
Eles conversam telepaticamente e nessas conversas Thomas começa a descobrir um pouco sobre si e sobre como escapar do labirinto. Não. No livro não tem aquela área externa, eles não pegam nada de dentro do verdugo pra fugir. Eles precisam decifrar um código formado pelas várias mudanças do labirinto. Essa parte é bem diferente. A saída é um penhasco gigantesco.
"Era uma visão estranha e inquietante, como se estivesse no limiar do universo e, por um breve instante, foi dominado pela vertigem, os joelhos enfraquecendo antes que pudesse se firmar." Pág. 155
Esse dom deles de conversarem telepaticamente vai ser bastante importante nos outros volumes da série e vai revelar alguns segredos tensos.
E sabe o ataque dos Verdugos? No filme ele dura dias. Muitos dias. E um garoto é levado por vez. É intenso e aterrorizante. Aterrorizante também a busca deles por memórias. Eles não sabem quem são, o que faziam antes da Clareira, não sabem nada sobre sua família. É agoniante. E também é estranho quando  Thomas começa a ter recordações enquanto sonha, após passar pela Transformação.
Os Clareanos  tem várias palavras próprias que usam para se referir a algo ou a alguém e até mesmo pra insultar. É bem divertido ver a confusão que essas palavras estranhas podem causar.
"_Você nem ninguém mais faz a menor ideia de como é estar lá. você só foi picado porque desrespeitou a mesma regra pela qual está acusando Thomas. Isso se chama hipocrisia, seu cara de mértila cheio de..." Pág. 182 (Minho pra Gally)
Enfim. O livro é incrível e eu amei, embora ainda goste bastante do filme. Adorei tudo que envolve essa distopia, todo o mistério do motivo de estarem naquele lugar, o porque de não saberem nada de suas vidas, porque só lembram de coisas quando passam sobre a dolorosa Transformação. É bem envolvente e eu não conseguia parar de ler. Li a trilogia em menos de uma semana. 
Estou pensando em gravar um vídeo falando sobre a trilogia. Quem apoia?

Frase incrível que não encontrei uma forma de encaixar na resenha:
"_Mas que droga estou com medo.
_Mas que droga, você é humano. então te de estar com medo" Pág. 361

Thomas falando com Chuck, mas poderia ser comigo, sem problemas:
"Não se sinta mal por chorar. Nunca" Pág. 29

Thomas descobrindo a vontade muitas mães:
"De repente, um dia na prisão parecia excelente. Um dia para ficar  apenas sentado e relaxar."Pág. 216

Ficha Técnica...

Título original: The Maze Runner
Título em português: Maze Runner  - Correr ou morrer
Autor James Dashner
V&R Editoras
426 páginas
Ano 2010
ISBN-13: 9788576832478
ISBN-10: 857683247X
No Skoob
Nota: 4.5
Nota no Skoob: 4.4
Quote escolhida pro projeto poteando quotes



Principais diferenças entre livro e filme:
Bom, uma deles eu já disse na resenha, que é o fato de Thomas e Teresa usarem telepatia pra se comunicar. E o fato dos garotos serem bem mais rudes com os novatos. Ah! Uma coisa que eu queria que tivesse no livro, que tem no filme, é a frase que virou diversos memes: "_Você está aqui a dois dias, eu a dois anos."

Concluindo: A trilogia toda foi tão envolvente que sonhei com a história do três livros. Sim. Sonhei que estava no labirinto. Eu amo labirintos, mas não gostei de estar presas em um.

Quem acompanha o blog deve ter percebido algumas pequenas mudanças nessa resenha. Eu quero sempre experimentar e trazer novidades pra vocês. Me digam o que acharam das mudanças. Gostam de várias fotos na resenha? E das quotes no meio do texto? Ou é melhor deixar quotes só pro final? ou nem põe quotes? Deixem a opinião de vocês nos comentários. Sempre leio e respondo tudo.
Um beijo grande e até a próxima. Ah! Amanhã tem resenha do volume dois.

6 comentários:

  1. Oi, Lary!
    Tudo bem? Gostei muito da sua resenha sobre o livro. Uma crítica bem construída.
    Não tive a oportunidade de ler ainda, mas conheço um pouco da história.

    Beijos
    http://albumdeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo bastante a trilogia. é bem empolgante.
      Beijos

      Excluir
  2. Adorei o quote que escolheu para o projeto poteando quotes ♥ acho esse projeto bem legal, mas no meu caso eu acabo copiando os quotes em um caderno, mesmo
    Enfim, eu sempre tive curiosidade de conhecer esses livros e só aumentou quando assisti o primeiro filme. Uma pena que no livro não tenha essa frase épica :p

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha certeza que teria essa frase. Fiquei um pouco decepcionada quando vi que não tinha.

      Excluir
  3. Oi Lary!
    Gostei bastante da resenha!
    Eu só assisti o filme, acho essa história muito interessante. Foi bom saber as diferenças em relação ao livro, pretendo ler a trilogia mas n num futuro próximo.
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super recomendo que leia, Carol. A trilogia toda é de tirar o fôlego.
      Beijos

      Excluir

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Posso até demorar, mas todos os comentários são respondidos
♥ Se deixar seu link no fim de um comentário decente, irei retribuir com todo carinho
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos na bochecha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo