13 outubro 2013

Resenha #06 - A Hospedeira

|| ||



Informações

Título: A Hospedeira

Título original: The Host

Autora: Stephenie Meyer

Tradução: Renato Aguiar

Ano: 2009


Nota:***** (5/5)

Status: Lido em Janeiro de 2013
Eu peguei na: Minha prateleira

Onde comprar?

 Na contra capa...

"É um livro de ficção científica que não parece ficção científica - é sobre um triângulo amoroso com apenas dois corpos. O que mais gostei neste livro foi de explorar o amor de ângulos tão diferentes. O amor pela comunidade, pelo próprio 'eu', pela família - o amor romântico e o amor platônico." Stephenie Meyer

"A Hospedeira corresponde às expectativas de sua fama: combina ficção científica e romance de uma forma que nunca deu tão certo." Library Journal

 "Com cenas inesquecíveis e perturbadoras que apontam questões fascinantes sobre a distinção entre a essência da humanidade e seu corpo físico, é uma leitura arrebatadora." Booklist

"Um thriller de ficção científica atormentador." Publishers Weekly

Nas abas...

Da autora que conquistou o primeiro lugar em todas as listas de best-sellers do Brasil e alcançou a marca mundial de mais de 77 milhões de exemplares vendidos com a série Crepúsculo

Melanie Stryder se recusa a desaparecer.
Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo.
Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.
Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.
Stephenie Meyer apresenta um romance atraente e inesquecível sobre a obstinação do amor e o significado de ser humano.

Sobre a autora...

Stephenie Meyer formou-se em literatura inglesa na Brigham Young University. Em 2005, com o lançamento da série Crepúsculo, foi apontada como "a mais promissora autora estreante" do ano na Publishers Weekly. A repercurssão da saga levou Stephenie a ser considerada, em edição especial da revista Time, uma das cem pessoas mais influentes do mundo. Ela mora com o marido e os três filhos no Arizona.

Opinião da Lary

Confesso que Stephenie me surpreendeu com esse livro. Li toda a saga Crepúsculo e, nada contra mas, eu não gostei. Achei que ela distorceu muitas coisas "sagradas" sobre os seres místicos  apresentados durante a saga (na boa, eu torcia pros Volturi). Conheci A Hospedeira no meu primeiro colegial (em 2009). Uma colega de classe estava lendo ele. Como curiosa literária que sou, fui perguntar pra ela sobre o livro e ela me disse estar gostando. Como nós duas sempre trocávamos indicações de livros por termos gostos parecidos, eu o aluguei (isso mesmo. Aluguei! Comprei meu exemplar somente em novembro passado) e amei a história. Me apaixonei pelo romance de Melanie e Jared (foto) assim como torci freneticamente por Peg e Ian. Juro que depois fiquei andando na rua tentando ver se os olhos das pessoas estava normal ou se tinham um brilho prateado. Ao mesmo tempo que você sabe que é ficção, você se esquece disso e acha que esta acontecendo naquele exato momento. Achei maravilhosa a forma como Stephenie abordou o amor e a amizade. O conceito de humanidade também é discutido de forma sutil no livro. Com certeza é um livro que irei reler muitas e muitas vezes. Você se encanta com as personagens por elas serem reais (chorei em várias partes do livro. Me senti a Peg, tadinha) e você quer ajudá-los de alguma forma (tenho sabonete de verdade aqui em casa, humanos "selvagens"! Venham pegar. Sou do time de vocês). Recomendo a todos que gostam de ficção, fantasia, ficção científica, romance, aventuras, ação.
Trecho que mais gostei: "Puxei Ian de volta até o lugar onde todos os túneis que davam nas habitações se juntavam num grande entroncamento de aberturas. Em vez de continuar para a praça principal, eu o puxei para dentro de um outro corredor escuro, escolhendo um deles ao acaso." (pág 385)

Alguém mais já leu? O que acharam? Não leu e viu o filme? Leia o livro (os livros são sempre mais completos). Com carinho, Lary.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Todos os comentários são respondidos e retribuídos, normalmente nas quartas e domingos;
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos na bochecha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo